Vida Consciente

As Leis da Natureza que você deve conhecer

As Leis da Natureza que você deve conhecer


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Poderíamos escrever um livro sobre cada um deles. A primeira dessas leis é a Lei da Causalidade, ou seja, a lei de causa e efeito. Diz um velho ditado: onde você coloca uma condição, outra condição surgirá e é, colocando um exemplo bruto, como se jogássemos uma moeda para o ar e, embora não vejamos onde ela vai cair, em algum lugar ela vai, porque sempre que houver uma causa há um efeito; sempre que houver uma ação, haverá necessariamente uma reação.

Isso é o que se chama Lei da Causa ou Lei de Causa e Efeito, que os iogues observam com muito cuidado porque sabem que toda causa ou ação terá suas repercussões, seja dentro ou fora de nós, e que toda causa ou ação sempre tem suas consequências. e é por isso que devemos assumir a responsabilidade por nossas ações.

Foi Buda quem disse: "Mesmo se você for à caverna mais remota do Himalaia, os resultados de suas ações o seguirão." Sempre, de alguma forma, somos perseguidos por nossas ações e seus resultados, pois ninguém pode evitar a Lei de Causa e Efeito. E assim como se um pêndulo vai para um lado, ele necessariamente voltará para o outro, assim, quer sejamos capazes de vê-lo ou não, entendê-lo ou não, toda causa causa seu efeito à medida que a sombra segue o corpo.

A segunda lei é chamada de Lei dos Opostos ou Opostos. Os taoístas o apresentaram de uma forma gráfica excelente: o yin e o yang, que têm um ponto de reconciliação e que é a unidade do Tao. Tudo é yin ou tudo é yang, tudo é amargo ou doce, claro ou escuro, dentro ou fora, para cima ou para baixo. Existe amizade porque existe inimizade, existe falta de amor porque existe amor, existe um fim porque existe um começo e, assim, podemos valorizar esta lei em tudo o que se manifesta e assim uma estação segue outra estação, a noite segue o dia e o dia a noite; É a lei inexorável dos opostos, também chamada pelo Zen de pares de opostos ou opostos, que temos que aprender a reconciliá-los, a lidar com eles e a encontrar aquele ponto de equilíbrio ou ponto equidistante entre um lado e o outro porque, como disse Buda , os extremos são sempre armadilhas para as quais corremos.

A terceira lei é a Lei do incontroverso. Aqui, não adianta se queremos torná-lo possível ou não. Se for inexorável, é inexorável. Buda foi questionado por seus discípulos: “Mestre. Quais são os fatos incontestáveis, inevitáveis ​​ou inexoráveis? Ele os convidou a ir a um lago e jogar uma pedra e o conteúdo de um tambor de óleo e depois explicar o que havia acontecido. Eles voltaram e Buda perguntou-lhes: "O que aconteceu?" Eles responderam: "Muito simples, Senhor, a rocha afundou e o óleo flutuou na água." Buda respondeu: “Você vê? Os fatos incontestáveis ​​ou inexoráveis! Por mais que você se sentasse na margem do lago chorando, gritando, orando, lamentando e fornecendo para a rocha flutuar e o óleo afundar, você não teria conseguido ”.

A vida está cheia de fatos incontestáveis, mas por falta de visão clara queremos mudá-los, lutamos, e então tudo o que fazemos é criar mais desconforto, mais dor, adicionar arrependimento à lamentação e tribulação à tribulação.

Talvez um dos fatos mais fortes e que menos queremos ver seja a Lei da Instabilidade. Tudo é instável, mas acontece que quando algo dura um pouco mais, nos enganamos ou isso nos engana, fazendo-nos acreditar que é estável e durável. Numa obra de Albert Camus, Calígula, a certa altura diz lamentavelmente: “Nada dura”. E é verdade, tudo é instável, impermanente, transitório mas, apesar disso, deve ser vivido com equanimidade, lucidez e com uma mente muito perceptiva.

Tudo que nasce morre; tudo que surge, desaparece; tudo o que se junta, mais cedo ou mais tarde, é separado, é a Lei da contingência, tudo é impermanente e transitório. Se soubéssemos como acomodar esta lei às nossas vidas, seria muito útil porque nos ajudaria a superar o apego e o ódio, ao perceber até que ponto tudo é passageiro - tudo é como uma estrela que desaparece ao amanhecer - e teríamos outra atitude em relação a isso. a vida e poderíamos viver cada momento sem apego e sem aversão.

Estas são algumas das Leis da Natureza que interessam estudar e examinar, para adotar em nossas vidas uma atitude adequada para não somar aflição com aflição. A meditação de observação não afetada nos permite perceber plenamente a transitoriedade de tudo o que está dentro e fora de nós, e isso está mudando nossa consciência e desenvolvendo sabedoria libertadora.

Existe um tipo especial de visão que transcende as aparências. Patanjali chamou de "visão pura" e Buda, "vipassana" ou visão penetrativa. Para quem sabe "ver", ficam comprometidas leis que passam despercebidas para quem só trava a visão contra as aparências. A verdadeira visão é aquela que transforma e ajuda a modificar a mente e o procedimento.

Por Ramiro Calle
https://www.mindalia.com


Vídeo: A História de Cloro (Pode 2022).